sábado, 25 de fevereiro de 2012

Respeitar a individualidade e aceitar as diferenças


Não adianta querer mudar um mundo onde todos somos donos da verdade, onde o certo é aquilo que achamos ser o certo. Embora eu não seja adepta do certo e errado, vivo num mundo onde esses dois conceitos são a base de tudo.
Mas o que é certo para uns pode ser errado para outros, tudo depende do ambiente em que vivemos e da cultura na qual fomos criados. Nascemos livres e teoricamente com livre arbítrio, ou seja, o direito de decidir aquilo que é melhor para nós ou ainda, aquilo que queremos ser ou fazer, embora a realidade seja bem outra, ainda acredito que somos os donos do nosso destino se assim o quisermos.
Ser livre implica em aceitar que todos somos livres e nossas vontades e escolhas tem que ser respeitadas ou aceitas. Não pertencemos a ninguém e ninguém é propriedade nossa. Queremos ser aceitos, portanto precisamos aprender a aceitar o outro, respeitando a sua individualidade.
Uma convivência harmoniosa é baseada em não ultrapassarmos o limite, a nossa liberdade vai até onde começa a liberdade do outro. Fazer concessões conscientes faz parte das relações onde ambas as partes estão dispostas a abrir mão de alguma coisa para o bem comum.
Temos o direito de opinar e a obrigação de ouvir opiniões, mas não temos o direito de querer que nossas opiniões sejam incontestavelmente aceitas.
A falta de respeito pela individualidade e pelas diferenças dos indivíduos é talvez a maior causa de conflitos, que nos colocam uns contra os outros desestabilizando a humanidade.
Somos ótimos em criticar e querer mudar os outros, mas somos péssimos para aceitar criticas ou permitir que alguém tente nos mudar. Devemos ter em mente que somente a vida nos faz mudar, aprendemos com nossos erros e com nossos acertos, ou não. Podemos seguir exemplos ou ouvir a experiência de outros, mas só mudamos realmente se houver interesse ou se quisermos mudar.
Muitos caminhos podem nos levar ao mesmo lugar, então nada melhor do que respeitarmos o caminho que cada um escolheu para chegar lá.

4 comentários:

  1. Eu pertenço a um grupo no whatsApp, onde a questão PT, DILMA e LULA, são tratados como foco, para que pessoas espiritualmente muito carregadas apresentem-se extremamente agressivas em seus posicionamentos, principalmente porque contam com a proteção da internet garantindo-lhes a impossibilidade de que suas agressões, sejam objeto de FORMAÇÃO DE PROVAS para futuras responsabilizações judiciais.

    Este texto sutil é certeiro, desarma de forma cabal, a maioria dos interlocutores de palavras prontas.

    Este texto é muito bom!

    A Senhora Renata Monteiro está de parabéns, foi um calaboca geral!

    ResponderExcluir
  2. Eu pertenço a um grupo no whatsApp, onde a questão PT, DILMA e LULA, são tratados como foco, para que pessoas espiritualmente muito carregadas apresentem-se extremamente agressivas em seus posicionamentos, principalmente porque contam com a proteção da internet garantindo-lhes a impossibilidade de que suas agressões, sejam objeto de FORMAÇÃO DE PROVAS para futuras responsabilizações judiciais.

    Este texto sutil é certeiro, desarma de forma cabal, a maioria dos interlocutores de palavras prontas.

    Este texto é muito bom!

    A Senhora Renata Monteiro está de parabéns, foi um calaboca geral!

    ResponderExcluir